DEPOIMENTOS

DEPOIMENTOS

Julia Lima dos Santos - Apucarana/PR

"Quando alcançamos uma graça, a vontade de compartilhar é imensa. Minha sobrinha foi trabalhar nos Estados Unidos, ainda jovem, lá casou-se e teve filhos, queria muito voltar, seu coração pedia, mas os entraves eram muitos, entrou em depressão e síndrome do pânico e isto arrastou-se por vinte anos. Mesmo não sendo o foco do Médium, me atrevi a pedir forças, e elas foram tantas que fui parar lá nos Estados Unidos e eu com mais de setenta anos, com todas as limitações fui enviada para buscá-la, e a trouxe, graças a Deus e graças ao Médium João de Deus ela está curada. Obrigada"

Aline Borba - Camboriu/SC

"Quando recebemos um diagnóstico de uma doença grave, o mundo para, fica tudo em câmera lenta, as reações do corpo são inúmeras e doloridas. O desanimo toma conta do ser, como se um gatilho disparasse em nosso coração, dilacerando nossa alma. O que faço agora? Não fiz nada ainda, não tive coragem para realizar as mudanças que tanto tenho vontade, mas falta a coragem de mudar. Tantas coisas a dizer, tantos abraços que deixei de dar, sem contar nos dias de trabalho árduo em que esqueci de me cuidar, de me permitir sentir o sol em meu rosto, a brisa soprando em meus cabelos. Quantas vezes deixei estes momentos passarem despercebidos como se a todo o momento pudesse desfrutar, e podemos, mas primeiro precisamos permitir. Permitir quer a vida flua em nós, permitir sentar e apreciar, permitir chorar e rir do nada. Isso é viver. Deus o que faço agora? Ajuda-me, me guie, por favor. Eu quero continuar a viver aqui, me deixa aprender pelo amor e não pela dor. Mas, já estamos na colheita, infelizmente o que estamos passando agora foi plantado lá atrás, por falta de vigilância de nossos atos de nossas crenças destorcidas e atitudes contrárias a maior Lei de Deus: Amar a Deus sobre todas as coisas, e o próximo como a ti mesmo. Simples né? Não. O egoísmo muitas vezes fala mais alto, o ego grita em nossos ouvidos, e a preguiça toma conta do nosso ser. Mas, como dizia Chico Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. Esta frase mudou a minha vida, sim, pois eu resolvi arregaçar as mangas e só pensar no meu novo FIM. E Deus é nosso Pai, amado Pai. De alguma forma uma força indescritível tomou conta do meu Ser e eu não permiti pensar na doença e sim na cura. Comecei uma nova plantação, novas sementes, e cheia de esperança e fé, sequei as lágrimas quando elas vieram, mas antes chorei, chorei com toda a minha alma e parei. Senti a força mais incrível dentro de mim, esta força é Deus em mim. Descobri que Deus não está lá, ele está aqui. Se eu respiro, Deus está em ação dentro de mim. Não gosto de falar na doença, pois sempre acreditei na cura. Não gosto de lembrar-me dos momentos de dores e de dificuldades que cada injeção causou em mim. Gosto de lembrar que cada aplicação que fazia pensava, estou chegando perto de parar de aplicar, pois a cada dia estou melhor, a cada dia estou com mais saúde e mais feliz. A cada aplicação, agradecia a Deus pela cura. Perguntei ao médico, tem cura? Ele me respondeu só um milagre. Pra mim, foi a resposta certa, pois eu acredito em MILAGRES. Aos poucos as mensagens começaram a aparecer, sim, Deus manda recadinhos no nosso dia a dia, e em um deles era um e-mail de uma reportagem de Abadiânia e do tão amado e respeitado médium João de Deus. Poderia ter lido e só. Mas não. Eu li e a chama do meu coração pulsou, brilhou, explodiu de alegria. Mesmo sendo uma distância enorme não vi nenhum obstáculo. Entrei no site, pesquisei e vi o link das excursões, e ali estava a minha agora amiga Zeli. Mandei um e-mail cheio de esperança, ansiedade. Ela me respondeu dizendo que passava em Santa Catarina e eu embarcaria na caravana da esperança. Sim, meu coração e minha mente ficaram em profunda alegria. Deus quer que eu melhore, ele quer que eu evolua. Muitas viagens eu fiz para a Casa de Dom Inácio de Loyola, desde novembro de 2012, ano em que a guia Zeli retornou a fazer a excursão. Desde a primeira vez, sabia que estava no lugar certo, sentia uma paz incrível e em estado de meditação passava a semana por lá, aproveitando todos os momentos que podia na casa. Meditando, rezando, limpando minhas energias, meus preconceitos, minhas amarras e ignorância. Neste local, pra quem sabe aproveitar, liberta-se não só dos problemas do corpo físico, mas dos problemas da alma. Na verdade, para uma doença chegar ao corpo físico ela já estava instalada no corpo espiritual, o físico serve de expurgo, limpeza das dores da alma. Muito importante percebermos isto antes de se manifestar em doença, temos a chance de nem ter doença se soubermos lidar com nossos problemas, fantasmas, ignorâncias, falta de flexibilidade e amor, tanto com o próximo como com nós mesmos. Fiz o tratamento bem certinho, e os recadinhos de Deus chegavam a todo o momento, e em uma tarde conheci a Dra. Marilene, uma médica que tem algo a mais, ela realmente se preocupa com seus pacientes e de forma alguma me tirou a esperança da cura, vários exames, vitaminas e minerais. Depois melhorei, a cada dia melhor e com a certeza de que as entidades da Casa de Dom Inácio de Loyola estavam intuindo a médica e não só estavam me ajudando através do remédio da casa, mas em toda a minha volta, em toda a minha vida. Ela solicitou a continuar com o tratamento espiritual, e me dizia que estava contando com a ajuda das entidades, pois quem cura é Deus e ela servia de instrumento aqui na terra para auxiliar no processo de recuperação. Pra mim, isto fez toda a diferença. Quando retornei em março de 2013, ao reencontrar a entidade atuando no médium João de Deus, não segurei as lágrimas e um choro que vinha da alma aconteceu enquanto avançava na fila. Muita emoção e gratidão. Seres tão evoluídos estão aqui para nosso auxílio, é muita gratidão. E eles enxergam a alma, isso me emociona mais, pois não precisava falar e ele já sabia tudo da minha vida, enxergava meus medos e minhas inseguranças de ser humano cheio de defeitos, mas com uma vontade enorme de ser melhor a cada dia. Ao chegar à frente da entidade, em prantos escutei ele me dizer: Filha, estou te cuidando! Pronto, chorei ainda mais. Com minha recuperação e aumento da minha imunidade, estou tendo a graça de gerar um filho. Em meu ventre cresce a Júlia! Por toda a recuperação da minha saúde e a nossa filhinha que logo estará em nossos braços, agradeço a Deus, as entidades da Casa e ao médium João de Deus que com sua bondade nos ajuda. Agradeço também a Zeli que proporciona a pessoas que moram tão longe chegar até João de Deus."

DEIXE SEU DEPOIMENTO